13 de jul de 2012

13 de Julho - Dia Internacional do Rock




Hoje é o dia internacional do Rock, certamente um dos estilos musicais mais controversos da história. Pouco compreendido, especialmente pelos crentes, o estilo se desenvolveu desde os anos de 1950, com Chuck Berry, Little Richard e o rebolado do rei Elvis Presley até hoje, quando essa árvore, que tem raízes no blues, jazz e country, além da música erudita, se desenvolveu em tantas ramificações diversificadas que se tornaram quase árvores independentes.

Dia 13 de julho se tornou o dia internacional (ou mundial) do Rock, pois foi nesse dia que aconteceu o  Live Aid 1985, em que muitos grandes astros do Rock se juntaram para fazerem a sua música em prol dos  famintos na Etiopia. Dois gigantescos shows aconteceram ao mesmo tempo. Um na Filadélfia, EUA, e outro no estádio Wembley na  Inglaterra, além de eventos menores em Sidney, Moscou e no Japão. Aproximadamente 200 mil pessoas assistiram aos shows nos diversos locais, além de mais 1.5 bilhão de pessoas que assistiram pela televisão em mais de 100 países.
É interessante que os artistas se esforçaram tanto nas apresentações que a apresentação do Queen foi eleita a melhor apresentação ao vivo de uma banda já realizada. Outro momento que marcou a história foi quando a corda do violão de Dylan arrebentou e outro guitarrista lhe emprestou a dele, ficando no palco tocando o famoso Air Guitar.
Alguns famosos que participaram dos shows, que, alias, arrecadaram mais de 150 milhões de libras, foram: Queen, Phil Collins, Sting, U2, Dire Straits, David Bowie, The Who, Elton John, Paul McCartney, Joan Baez, B.B. King, Black Sabbath, Mick Jagger, Judas Priest, Madonna, Eric Clapton, Led Zeppelin, Bob Dylan e muitos (mas muitos) outros.
Os shows foram encerrados com as apresentações das músicas anti-fome oficiais: Do they know its Christmas? e We are the World

    


Ainda hoje, no entanto, sofre de grandes preconceitos no meio evangélico, especialmente por não compreendermos o que o KISS entendeu no video acima: Deus nos deu o rock. A idéia de que o diabo é o pai do Rock (ou de qualquer coisa) não encontra qualquer base bíblica (na verdade, muitas vezes, os crentes estão citando o Raúl Seixas, sem saberem, dizendo que o diabo é o pai do rock...). A Bíblia diz que Deus criou todas as coisas e viu que era bom. Assim, não há nada que seja intrinsecamente mal. O que acontece com a Queda é que todas as coisas foram pervertidas pelo pecado. Assim, não apenas o Rock, mas todos os estilos musicais estão caidos e precisam ser redimidos na grande redenção de "todas as coisas" (Col. 1.20).
Devemos, portanto, mudar a nossa forma de pensar a respeito do rock. Mudar o artista que citamos inconscientemente, para o Zeca Baleiro, dizendo: "Todo mundo vai pirar com o Heavy Metal do Senhor!" Como? Em primeiro lugar, entendendo que o rock não é um ritmo maligno e segundo, produzindo música de qualidade, tanto musical como nas letras. E, como o Petra no video abaixo, aprender a dialogar com a incrível quantidade de coisa boa que tem por ai.  

Um comentário:

  1. Que belo texto, amigo!
    Percepções lúcidas e extremamente relevantes para a espiritualidade dualista que tem nos assolado!

    Parabéns e que Deus o abençoe!

    Abração

    ResponderExcluir

"Todo aquele que ler estas explanações, quando tiver certeza do que afirmo, caminhe lado a lado comigo; quando duvidar como eu, investigue comigo; quando reconhecer que foi seu o erro, venha ter comigo; se o erro for meu, chame minha atenção. Assim haveremos de palmilhar juntos o caminho da caridade em direção àquele de quem está dito: Buscai sempre a Sua face."

Agostinho de Hipona