30 de nov de 2011

Dia do Evangélico e Promessas

Hoje é o dia do evangélico, apesar de não entender o motivo da existência de tal dia, mas tudo bem. Quando acordei vi a internet infestada de notícias sobre isso, que eu vou deixar para que outros comentem, vamos aos mestres:

"Marchas, exposições, levitas idolatraos, troféus, programas de auditório, moda gospel, ungidos intocáveis, dia do evangélico, judaização, unções aos litros, adoração humanista, pastores surtados riquíssimos, profetadas, mantras alucinógenos, dominadores de almas, macdonaldização do evangelho..." por Stênio Marcius

Fala João Alexandre:

29 de nov de 2011

As velas do advento

Durante o advento é costume, principalmente nas igrejas tradicionais européias, acenderem uma vela para cada domingo (ou semana) do advento. Assim, no primeiro domingo se acende uma vela, no segundo duas, e assim por diante. A idéia é que toda semana tem um pouco mais de luz, lembrando da Luz do mundo que vem:


"Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR vai nascendo sobre ti; Porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o SENHOR virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti. E os gentios caminharão à tua luz, e os reis ao resplendor que te nasceu. Levanta em redor os teus olhos, e vê; todos estes já se ajuntaram, e vêm a ti; teus filhos virão de longe, e tuas filhas serão criadas ao teu lado.Então o verás, e serás iluminado, e o teu coração estremecerá e se alargará; porque a abundância do mar se tornará a ti, e as riquezas dos gentios virão a ti.Isaías 60:1-5


"Para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías, que diz: A terra de Zebulom, e a terra de Naftali, Junto ao caminho do mar, além do Jordão, A Galiléia das nações; O povo, que estava assentado em trevas, Viu uma grande luz; E, aos que estavam assentados na região e sombra da morte, A luz raiou." Mateus 4:14-16


"Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida." João 8:12


Hoje esse costume é quase abominado em muitas igrejas no Brasil por causa do uso de velas no Catolicismo e nas religiões afro-brasileiras. Mas quando olho para a história da chamada "coroa do advento" acho muito interessante ver a origem desse símbolo:
    

Hoje, na Alemanha, a Coroa de Advento está dentro de Igrejas, de escolas e até de residências particulares. É impossível se imaginar os festejos de Advento sem a presença da referida e suas quatro velas queimando durante os 24 dias. Pois andei pesquisando a respeito. A Coroa de Advento não é antiga. Ela foi concebida em Hamburgo, há mais de cem anos. Havia muitas crianças órfãs naquela cidade portuária. Meninas e meninos sem teto que perambulavam pelas ruas pedindo esmolas. Conhecemos este “filme”.
As coisas não precisam ser sempre assim. Um pastor evangélico luterano morava naquela cidade. Seu coração pulsava por aquelas meninas e por aqueles meninos “sem eira nem beira”. Mexe daqui, puxa dali, ele construiu uma enorme casa onde passou a abrigar o máximo possível de crianças de rua. Naquela casa o povo miúdo tinha espaço para dormir e fazer suas refeições. Mais do que isso: tinha a chance de aprender uma profissão. Muitos saíram dali formados como sapateiros, desenhistas, costureiras e até jardineiros. A idéia era que, assim, não precisariam mais perambular pelas ruas pedindo esmolas, uma vez que juntavam seus próprios dinheiros a partir do suor do seu rosto.
Foi assim que, em 1833, nasceu a “Rauhes Haus” (Casa Rústica). O pastor visionário chamava-se Johann Heinrich Wichern (*1808 +1881). Todo ano ele celebrava o tempo de Advento com meditações, cânticos e reflexões que enfocavam este tempo bonito que antecede o Natal. Para contextualizar aqueles momentos o pastor Wichern pendurou uma roda velha, dessas que ainda hoje se vê em carroças, no teto na “Casa” que dirigia. No primeiro domingo de Advento colocou a primeira grande vela a queimar sobre a roda. Depois, nos seis dias seguintes, seis velas pequenas. Daí, no segundo domingo de Advento, novamente a segunda vela grande... Um dia antes do Natal queimavam 24 velas referida roda.
Corria o ano de 1840. As meninas e os meninos que moravam na referida casa gostavam muito daqueles encontros. A roda ia iluminando mais e mais a sala, a medida que o Natal se aproximava. Cada vela tinha o seu significado. Foram eles, as meninas e os meninos, que “batizaram” aquele tempo de “Meditação das Velas”. Passaram-se dois anos e aquela pequena Comunidade decidiu enfeitar a roda iluminada com ramos de pinheiro (sinal de vida). Foi assim que nasceu a primeira Coroa de Advento dentro da Igreja Luterana.
Muitas pessoas que visitavam a “Rauhes Haus” achavam aquele símbolo muito significativo. Como nas suas moradias particulares não havia muito espaço para uma Coroa de Advento com 24 velas, optaram por uma menor com quatro, uma para cada domingo. 



28 de nov de 2011

Para começar...

Devo confessar que fiquei um pouco receoso ao fazer esse blog. Diversas pessoas já me falaram que eu deveria fazer um blog como esse, mas, na verdade, não sou um blogueiro tão ativo assim, e, para um blog funcionar bem, deve-se atualizá-lo com bastante frequência. Mas tentarei fazer funcionar nem que seja pouco movimentado. Talvez vai ser um encorajamento para que eu escreva mais, e, senão, vou ao menos publicar videos e outros materiais interessantes.

Também sei que muitos dos que conheço sabem mais do que eu de muitos dos assuntos que pretendo abordar, portanto peço paciência. Nesse blog tratarei de diversos assuntos que eu estou aprendendo, e não sou especialista.

Outro motivo é que sei que muitas das coisas que abordarei podem ser polêmicas para algumas pessoas, para esses peço educação na hora de reagirem e discutirmos. Creio que as discussões são muito válidas e produtivas se todos souberem fazê-lo de forma educada.

Espero que esse blog sirva para a edificação do corpo de Cristo e que todos possamos continuar "Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, CristoEfésios 4:13-15


Soli Deo Gloria


PS. Se quiserem saber da minha vida missionária, o trabalho que faço, etc, entre no blog: www.tijskelly.blogspot.com onde escrevemos (principalmente minha esposa) sobre nosso trabalho e dia a dia em missões.  

A esperança do Advento - Primeiro domingo

"Waiting for the one
The day that never comes
When you stand up and feel the warmth
But the sunshine never comes.
No, the sunshine never comes."

(Esperando por um único
Dia que nunca chega
Você se levantará e sentirá o calor?
Mas a luz do Sol nunca vem
Não, a luz do Sol nunca vem)


O nosso mundo vive em um estado de constante desespero. Como diz o refrão da música do Metallica: “Esperando pelo dia que nunca chega.” O  mundo, nesse sentido, espera por algo, que não sabe o que é, e jamais vêm.

Mas no ultimo domingo, nós, como cristãos, também entramos no período da espera. Esse período é chamado de Advento (do latim: adventus =vinda, estar chegando e advenire = vindo para). Nesse período, como Igreja de Cristo, esperamos e nos preparamos para o dia do Natal, em que lembramos que Jesus veio e habitou entre nós. 

Além disso, nos lembramos também que haverá um dia em que Ele virá novamente, em glória. Por isso os textos bíblicos que lemos e estudamos durante esse período são textos proféticos, que apontam para a vinda (tanto a primeira, como a segunda) de Jesus. Como mostram, por exemplo, os textos que igrejas por todo o mundo lembram nesse domingo, através do calendário cristão:

Isaías 64:1-9 – “Oh! se fendesses os céus, e descesses, e os montes tremessem à tua presença, como quando o fogo pega em acendalhas, e o fogo faz ferver a água, para fazeres notório o teu nome aos teus adversários, de sorte que à tua presença tremam as nações! Quando fazias coisas terríveis, que não esperávamos, descias, e os montes tremiam à tua presença. Porque desde a antigüidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que opera a favor daquele que por ele espera. Tu sais ao encontro daquele que, com alegria, pratica a justiça, daqueles que se lembram de ti nos teus caminhos. Eis que te iraste, porque pecamos; há muito tempo temos estado em pecados; acaso seremos salvos? Pois todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades, como o vento, nos arrebatam. E não há quem invoque o teu nome, que desperte, e te detenha; pois escondeste de nós o teu rosto e nos consumiste, por causa das nossas iniqüidades. Mas agora, ó Senhor, tu és nosso Pai; nós somos o barro, e tu o nosso oleiro; e todos nós obra das tuas mãos. Não te agastes tanto, ó Senhor, nem perpetuamente te lembres da iniqüidade; olha, pois, nós te pedimos, todos nós somos o teu povo.” 

Salmo 80:1-7 – “Ó pastor de Israel, dá ouvidos; tu, que guias a José como a um rebanho, que estás entronizado sobre os querubins, resplandece. Perante Efraim, Benjamim e Manassés, desperta o teu poder, e vem salvar-nos. Reabilita-nos, ó Deus; faze resplandecer o teu rosto, para que sejamos salvos. Ó Senhor Deus dos exércitos, até quando te indignarás contra a oração do teu povo? Tu os alimentaste com pão de lágrimas, e lhes deste a beber lágrimas em abundância. Tu nos fazes objeto de escárnio entre os nossos vizinhos; e os nossos inimigos zombam de nós entre si. Reabilita-nos, ó Deus dos exércitos; faze resplandecer o teu rosto, para que sejamos salvos.” 

Marcos 13: (24-32) 33-37 – “Mas naqueles dias, depois daquela tribulação, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu, e os poderes que estão nos céus, serão abalados. Então verão vir o Filho do homem nas nuvens, com grande poder e glória. E logo enviará os seus anjos, e ajuntará os seus eleitos, desde os quatro ventos, desde a extremidade da terra até a extremidade do céu. Da figueira, pois, aprendei a parábola: Quando já o seu ramo se torna tenro e brota folhas, sabeis que está próximo o verão. Assim também vós, quando virdes sucederem essas coisas, sabei que ele está próximo, mesmo às portas. Em verdade vos digo que não passará esta geração, até que todas essas coisas aconteçam. Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão. Quanto, porém, ao dia e à hora, ninguém sabe, nem os anjos no céu nem o Filho, senão o Pai. Olhai! vigiai! porque não sabeis quando chegará o tempo. É como se um homem, devendo viajar, ao deixar a sua casa, desse autoridade aos seus servos, a cada um o seu trabalho, e ordenasse também ao porteiro que vigiasse. Vigiai, pois; porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã; para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo. O que vos digo a vós, a todos o digo: Vigiai.” 

A nossa mensagem, nesse mundo desesperançoso, deve ser uma mensagem de esperança. 
Primeiro, porque sabemos que aquele dia já veio: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.” João 1:14

Segundo, porque sabemos que aquele dia virá: “Então verão vir o Filho do homem nas nuvens, com grande poder e glória.E logo enviará os seus anjos, e ajuntará os seus eleitos, desde os quatro ventos, desde a extremidade da terra até a extremidade do céu.” Marcos 13:26-27

Durante esse período do advento vou tentar falar com frequência a esse respeito, pois nós esperamos pelo dia, o que veio, e o dia que virá.   


Soli Deo Gloria